quarta-feira, junho 18, 2008

lugares inesquecíveis # 1



sim, sou eu. 22 anos, 2o e tal kilos de mochila às costas, passe de inter-rail na mão, rumo à europa. agosto. má escolha, bem sei, mas lá teve de ser, porque no mês seguinte começava a trabalhar. 38º C à saída de lisboa e chuva durante todo o resto da viagem. primeira etapa: amsterdam. não me lembro quanto terei pago por este postal personalizado, típico recuerdo para turistas. não deve ter sido grande o montante, que o dinheiro era curto e contado, empréstimo a pagar com o primeiro ordenado e estoiradinho até ao fim. dormidas nos comboios e em sleep-inn's com beliches de três andares (imaginam os antros, em amsterdam?), tomar banho nas estações, comprar o farnel do dia no supermercado e uma vez por outra, fazer uma festa com um frango assado e umas latinhas de cerveja. há momentos que não se repetem. felizmente - digo eu - que actualmente não me imagino em tais andanças sem o confortozinho mínimo assegurado. grande era a vontade de desbravar e conhecer mundo e - sobretudo - de romper amarras, afrouxar o asfixiante laço familiar.

5 comentários:

N. disse...

ena!

Scarlata disse...

Imagino os antros!
Eu e o Chico recusamos uma serie de "galinheiros" que nos proposeram, e depois de uma manha inteira à procura de un sitio decente para dormir acabamos nos arredores, numa pensao - bar - snooker com musica horrorosa até as 2 da matina e um fode fode general no primeiro andar que nao te digo... hehehhe mas adorei cada minuto passado em Amsterdam!

Nick disse...

um fode fode general no primeiro andar que nao te digo...

Bom... isso também acontece por cá. Por acaso esta noite até bati palmas quando acabaram, às duas da manhã, tal não era o entusiasmo deles. A determinada altura julguei que estava a dar um ataque de miocárdio à gaja.


:)

Alex, hoje belisco-me todo (devias ver os arranhões) por não ter feito isso quando podia.

maria m. disse...

uau!

também visitei Amsterdão (há muitos anos atrás!) com pouco dinheiro e adorei.

alex disse...

nick, não vou ser meiga: belisca-te o que for preciso, mas vai a amsterdam.

meninas: quem me dera voltar. [suspiro]